O som do ano que vem

Desde o início de 2008 já sabíamos que o fim do ano estaria reservado ao começo das gravações (ou ao menos pré-produções) de um novo disco do Ludov a ser lançado em 2009.

Sentamos para uma conversa a esse respeito em setembro último. Nós quatro e mais Fabbie (Fabiana Batistela, nossa empresária e quinta parte da banda) conversamos sobre um novo site, camisetas, shows e, principalmente, sobre as músicas que já temos compostas e as músicas que pretendemos compor.

Não vou me aprofundar muito nos assuntos dessa conversa, pois ela mesma serviu mais como um pontapé para essa nova fase que para um real roteiro sobre o que fazer e quando.

Seja como for, já sabemos que a turnê do nosso “Disco Paralelo”, iniciada em 2007 está chegando ao seu fim. Nos shows viemos tocando uma ou outra música que pode ou não entrar no repertório desse futuro álbum: Vôo, que foi apresentada ao público ainda em 2007; Cair em Amor; Escarcéu; O Passado e Vinte Por Cento (inicialmente chamada “Amanhã”).

Fora essas, estamos com várias idéias musicais em desenvolvimento.

A cada novo período de composição, tentamos de alguma maneira modificar o método, como forma de experimentação mesmo. É claro, existem músicas que simplesmente surgem, como uma necessidade pessoal de colocar pra fora um pensamento. De outra forma, existem as músicas que podem ser de alguma maneira induzidas, necessidades inventadas. Até porque música não é só letra e melodia. Antes (ou depois) disso tem muitas outras coisas envolvidas e no momento estamos nos esmerando em sonoridades e arranjos.

Iniciar uma música pelo som que achamos que ela deve ter é uma novidade pra gente, um belo desafio. E assim, com desafios, começar um disco fica ainda mais interessante.