Kriptonita

“Essa letra começa com uma paráfrase de ‘Fernão Capelo Gaivota’, livro meio kitsch, meio new age que muitos já leram na escola. Eu nem gostei muito do livro, e só depois me chamaram a atenção para a frase sobre ‘longe ser um lugar que não existe’. Meu super-herói favorito na infância era o Batman, mas a analogia com o Super-Homem aparece aqui mais como uma representação de um semideus moderno, cuja única fraqueza, tal qual o calcanhar de Aquiles, é a tal Kryptonita. Tanto não sou fã assim tão fiel que na hora de registrar a música, grafei Kriptonita com i e com K, ficando no meio-termo entre ser fiel às HQs ou aportuguesar o termo. Mas até hoje acho bonitinha a metáfora para mostrar do que é capaz um pensamento apaixonado.”
Mauro Motoki

—————————————————-
Bateria: Paulo CH
Guitarra: Habacuque Lima
Violão de Aço: Mauro Motoki
Voz: Vanessa Krongold
Baixo: Edu Filomeno

Teclado e Efeitos: Fabio Pinczowski